Todo mundo quer amar

by Zé Paulo Becker & Marcos Sacramento

/
1.
Escuta o samba Chega pro samba Entra no samba, vem Quem cai no samba Vai ver que o samba É de quem samba bem Quem é de samba Mostra no samba O que é que o samba tem E a gente samba Porque no samba Samba a mente, o corpo samba E samba o coração também Vem, que o balanço de um bom samba Faz qualquer um querer se balançar Não conheço ninguém Que comece, meu bem, E consiga depois parar Vem, que é no ritmo do samba Que a gente cresce e aprende a caminhar Moço com molejo e moça com cintura bamba E quem é de fora até pára para admirar É que vem de longe e vem no sangue o gen do samba Quem é do Brasil nasce pra sambar.
2.
Remendo 03:40
Não, acho que não, que já não dá De novo o que eu passei não vou passar Não, claro que não, nem vou tentar Meu Deus, não posso nem pensar No nosso caso, o meu bom-senso diz Ninguém tem condição de ser feliz Não, sinto que não, o nó já se desfez E o cordão rompeu de vez Laço que afrouxou Pano que rasgou Nem com agulha na mais Linha que gastou Em bra que esgarçou A trama da costura se desfaz Desse nosso amor Já se remendou Tudo o que se foi capaz Não tem mais valor Que a seda já acabou E a traça não deixou nada pra trás.
3.
Dois Lados (free) 02:18
Nunca tem um lado só o amor Às vezes ele é fiel Às vezes enganador Pode ser só cascavel Pode ser só beija-flor Não tem sentimento maior Mas nunca tem um lado só o amor Tem vez que só faz prender Tem vez que é libertador Pode só causar prazer Pode só trazer a dor Mas nada no mundo é melhor que o amor Todo mundo quer amar Ninguém quer a solidão Mesmo com o risco que há, De padecer, de sofrer, de chorar Do amor ninguém abre mão
4.
Coisa Fugaz 05:45
Não sofre, não chora, Não vale a pena a sua dor Um falso amor tanto faz, é sem valor, é coisa Fugaz Deixa esse amor pra trás Não sofre, não chora,por sentimento enganador Decepções são normais, desilusões são banais Num coração, não cabe um impostor, não cabe um ngimento não, não cabe um traidor, não cabe um desamor. Pois é, deixa pra lá, esquece o mal, levanta, bebe, canta. Amor que é pra durar, é que foi feito pra ninguém chorar. Ninguém chorar...
5.
De Madrugada 03:53
Quando tem noite enluarada, Eu pego no meu violão Me sento na calçada E co tocando com a moçada Tem muito samba da pesada Que surge na recordação, ah! De noite não tem nada Melhor que ouvir um som (Como) É bom cantar de madrugada Cantar de madrugada é bom!
6.
Quem foi que não teve uma ilusão de amor Quem foi que não fêz alguém sofrer Porém aquele que é bom entendedor Aprende com o erro que causou E tira o diploma de viver É sempre o Amor A discussão Nunca tem dor Quem amarra o peito com a razão Amor Amor não é coisa de amador Também não precisa professor Amor quem ensina é o coração.
7.
Sem Rumo 03:58
Minh’alma chora desde quando foste embora Desde a hora da separação Que ela imergiu na sombra Que ela tropeça e tomba. Meu olho cega sem saber onde navegas, que paixão, que chão, que mar. Vai sem direção o meu olhar. Meu peito perde o prumo Meus pés estão no ar Eu sinto o amor cambalear Meu coração não tem mais rumo. Caminho a esmo, sempre em mim mesmo. Porque sem ponto de partida não tem porto de chegar. Tudo é tão vago mas o adeus causa esse estrago até a gente reaprender de novo a amar. Amar, Amar.
8.
Quem ama (free) 03:30
Quem ama desperta feliz quando vem o sol Levanta cantando que nem rouxinol Carregado de paixão Uma lágrima de amor Brilha no seu olhar E uma pétala de or cai do seu coração Quem ama começa a sonhar de dia Quem ama desanda a dizer poesia Quem ama sabe não O que é loucura ou razão Nem antes já houve, nem há depois Nesse innito amor dos dois.
9.
Vieram me chamar pra ir a um baile pra dançar O samba era no clube democráticos, eu fui Quando eu entrei que subi pro salão, ainda da escada Já ouvi tamborim sincopando, era um som da pesada Lembrei da Estudantina, quando ainda era de lei A noitada com música ao vivo, não tinha DJ Aí gostei, mudou o astral No balanço do metal Ao som de uma orquestra genial Na batucada, só tinha garotada E a dança comendo sem parar O samba botando pra quebrar Era a voz do povo A voz do sangue, era de novo O samba botando pra quebrar E pra semana eu vou voltar...
10.
Temperamento 02:31
Sempre fui bom de discussão Mas de assunto com você hoje eu fujo Qualquer conversa acaba logo em confusão Tem sempre apelação Uma agressão, Um golpe sujo Embora até sem ter razão Discursa sem saber De fato, o tema da questão E mesmo sem poder Impõe a sua opinião Você tem pra tudo um argumento Isso foi minando a relação Tanto papo em vão sumiu no vento E silenciou meu coração Tendo em vista seu temperamento Já tomei a minha decisão Com você nem mesmo um tratamento, Pois você não tem mais soluçâo
11.
Secou cada gota do meu pranto A dor dessa mágoa não dói mais Passou, toda essa aição passou Todo desencanto já cou fugaz Porém na mudança desse vento Também foi-se embora o meu alento Que a or que a felicidade traz No revés do catavento Já não volta mais Acabou a minha mágoa Ninguém vai encher meus olhos d’água Porque eu já sei sofrer em paz Outra dor sem m Só vai ser pra mim 1-Uma dor a mais, 2-mim, Alguma dor a mais
12.
Gota de Ouro 03:22
Eu tenho um frágil coração E quando sinto uma emoção Logo me da vontade de chorar Eu choro de tristeza ou de felicidade Tanto no encontro eu choro quanto na Saudade As vezes co sem razão, co sem graça e sem ação Mas sei que é boa a sensação Pra falar a verdade Quero enm pedir perdão Eu posso até chorar em vão Mas não abro mão de chorar O choro é um som O choro é um dom Chorar é bom, chorar no tom O choro é música, é lágrima, é bálsamo É consolação, Choro pra mim é a mais bela canção Que há Não é pranto que eu fala aqui não Quem me entender é chorão Choro é uma gota de ouro Nas cordas do meu violão Que é quem por mim vai chorar Por isso que (repete)
13.
Sistema 03:56
Quem faz só o que acha que é capaz Só vai ter tédio, quando olhar pra trás Pois o acaso nos conduz A uma surpresa que é uma luz Fora do que é fugaz A vida é sempre muito mais Do que o destino escrito nos anais Pois viver não se reduz A uma ilusão que se traduz Como uma falsa paz A Vida, às vezes, é o que não se vê Que escapa da razão, que nem se crê A vida é pra quem lê nas entrelinhas O que pode sem querer, acontecer Mas quem só segue regra Quase não se alegra Pelo medo de chorar Quem nunca sai do esquema Morre no sistema 1-Passa pela vida sem notar (repete refrão) 2-Passa pela vida sem notar Quem faz só o que acha que é capaz...
14.
Convés 03:53
Já submergi numa paixão maior que o mar, Já sofri de tanto pranto triste não caber no meu olhar. Já quase afoguei no turbilhão, perdendo a direção, soltando a mão, sumindo o chão, faltando o ar, sem nada onde me agarrar. Mas um barco que passou, junto a mim me resgatou, bóia de navegador. Fui parar em terra rme enm, tendo um braço pra cuidar de mim, revertendo o meu naufrágio e o meu fracasso... Hoje eu só saio no mar assim, vou dentro do mesmo convés que eu vim e com a vida entregue ao leme do teu braço. Com a vida entregue ao leme do teu braço

about

Veja o vídeo promocional: www.youtube.com/watch?v=Zhj03hL2Nqw

Saiba mais em: www.boranda.com.br/sacramentoebecker

Todo mundo quer amar, um álbum que celebra as parcerias. Canções que nasceram nas mãos de Zé Paulo Becker e na pena de Paulo César Pinheiro para ganhar vida no violão de Zé Paulo e na voz de Marcos Sacramento. Três vértices da cultura brasileira formando um trio de grandes – e múltiplos – talentos.

A ideia original de Zé Paulo era registrar algumas composições inéditas para colocar na internet. Produção entre amigos logo pensou na voz de Sacramento, convite imediatamente aceito. A seleção inicial, feita pelos dois, tinha um forte traço em comum: todas tinham letra com a assinatura de Paulo César Pinheiro. Ali nascia a ideia de um disco.

Músicas de amor. Todas as 14 canções falam sobre o sentimento em tons variados. O tema universal é terreno fértil para o hábil letrista criar novas poesias. E elas chegam nas formas livres de sambas e suas vertentes. “Escuta o samba, chega pro samba, entra no samba, vem”, convidam de cara com intimidade e propriedade. Essas credenciais os três conhecem bem, estão em casa. Seja em arranjos que juntam uma verdadeira orquestra popular ou no intimismo da voz, do violão e do piano.

Marcos Sacramento é intérprete notório de vários sambas, mas seu repertório é amplo e abrange várias bossas brasileiras. Virtuose no violão, Zé Paulo Becker foi conquistado pela linguagem da música popular enquanto planejava se dedicar a um repertório erudito. Paulo César Pinheiro é poeta nato, compositor compulsivo, acumulando um dos maiores – e melhores – acervos de letras na música brasileira contemporânea.

O time convidado para agregar e executar esses arranjos é digno de qualquer seleção campeã. Além do próprio Zé Paulo Becker (violão e arranjos), traz Rogério Caetano no violão de sete cordas, Leandro Braga no piano, Bebê Kramer no acordeom, Márcio Almeida e Luciana Rabello revezando o cavaquinho. O naipe de sopros junta Humberto Araújo, Fabiano Segalote, José Arimatéa, Silvério Pontes e Rui Alvin. A cozinha fica com Pedro Aune no baixo acústico e nas percussões passam Flavinho Miúdo, Bernardo Aguiar, Paulino Dias e Marcelinho Moreira.

Todo mundo quer amar traz o samba popular em linhagem sofisticada. A poesia precisa de Paulo César, o violão elegante de Zé Paulo e a interpretação explosiva de Sacramento: um encontro que não tem chance de erro e nem dúvidas. “Moço com molejo e moça com cintura bamba / E quem é de fora até pára para admirar”. A gente samba junto.

Por Beto Feitosa

credits

released July 11, 2012

license

all rights reserved

tags